Your Place for cinema

Monday, January 16, 2006

Crítica de Cinema - A Descida

"Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh..."

Sentimentos primitivos dominam o nosso corpo durante a projecção. E ter visto o filme numa sala relativamente cheia potenciou o aumento do terror. Principalmente por atrás de mim estarem umas adolescentes que sairam obviamente traumatizadas.
É que o filme não é para os impressionáveis e muito menos para pessoas com problemas cardíacos. Se tem problemas cardíacos evite mesmo ler esta crítica. É um conselho de amigo

O filme acompanha a expedição de um grupo de seis amigas (eram seis, certo?) para o interior de uma gruta. A mesma é organizada por uma da amigas, Juno (Natalie Mendoza), um ano após um acidente horrível que vitimou uma das suas amigas (Sarah – Shauna Macdonald), que agora recupera como pode dessa tragédia. Como amantes de desportos radicais, antes desse trágico acontecimento, decidem que para tudo voltar à normalidade é necessário injectar adrenalina de volta. Para isso escolhe um sistema de grutas para iniciados, apenas para despertar a alegria de viver novamente na amiga.
Sendo um grupo heterógeneo em termos de experiência em cavernas, a caverna escolhida deixa alguna elementos frustados (por pouco tempo).
O que não esperam é que Juno decide optar por um sistema de grutas novo e ainda não descoberto que aguarda muitas surpresas. Ao ficarem presos num dos tunéis devido a uma queda de blocos que fecha a uníca passagem para a superfície, Juno finalmente revela que não tem o mapa e além disso de nada serviria pois esta não é a gruta em que esperavam estar mas algo muito diferente.
E é nesse momento que o filme começa.
Claustrofobia, vislumbres, escuridão e medo, muito medo.
De um elenco de perfeitas desconhecidas mas com qualidade na sua interpretação consegue haver uma demonstração palpável de medo. Na cara de cada uma delas isso é bem visível e vai sempre em crescendo até ao final do filme, por sinal bastante frustante mas realista.
Quando o medo entra é muito difícil de sair. É preciso tempo e isso é algo que ninguém tem naquela caverna.
Neil Marshall acerta em cheio ao fazer um crescendo de medo ao longo do filme e um diminuir da luz até ao plano final em que apenas a cara de Sarah é visível. No entanto essa falta de luz é compensada de maneiras perfeitas com o uso dos chamados “flair” luminoso, lanternas, modo nocturno da camêra de filmar, sempre sem parecer forçado. Existe um paralelo com a diminuição da luz existe também o mesmo com a esperança de sairem vivos da caverna. E mesmo nesse aspecto não sabemos se alguem saí ou de que maneira. Não existe informação. Deixa o espectador no escuro juntamente com as protagonistas. O que “Jaws” fez no medo de tubarões, “The Descent” pode fazer o mesmo para cavernas escuras e claustrofóbicas.
Existem algumas infelicidades e clichés que eram facilmente evitáveis como a foto de grupo antes de entrarem na caverna e depois previsivelmente no final do filme. Para quê? De nada adiantou na história. De os monstros do filme não terem visão faz sentido e não os viam se não fizessem barulho, mas não as poderiam cheirar ou sentir? Se calhar já estou a ser meticuloso mas fazia sentido não. Quando se perde um sentido os outros aumentam exponencialmente.

Não é um filme perfeito mas é a confirmação de uma grande esperança no cinema de terror e em geral. Depois de “Dog Soldiers”, “The Descent” é um novo patamar na carreira. E o que virá a seguir?
Concerteza será num patamar superior e irá confirmar o que muitos já sabem. A revitalização do cinema de terror é urgente. Holywood está desesperada e não encontra soluções. Que tal abrirem os olhos para os lados de Inglaterra? Nem só de Japão vive o horror.
E lufadas de ar fresco são sempre bemvindas em Holywood. Quem sabe, com outros meios o que será Marshall capaz de fazer.
Muito, garanto…

Nota do Filme – “A Descida” (The Descent) – 7/10

4 Comments:

Anonymous S0LO said...

Olá. Sou o Mário Lopes do blog "Lord Of The Movies". Li o comentário que fizeste ao meu blog no "Pasmos Filtrados"...obrigado :).
Confesso que não conhecia o teu blog, mas parece-me ser bastante interessante e por isso, vou adicionar-te aos meus links no "Lord Of The Movies".

Cumprimentos.

P.S. -> E fico á espera da análise ao "The Descent" :)!

17 January, 2006

 
Anonymous Pedro Ginja said...

Tá feita... Nada de especial mas já está...

Isto com o treino vai lá...

18 January, 2006

 
Anonymous S0LO said...

Hum...está interessante :).

Keep it up!

Abraço

19 January, 2006

 
Blogger Vertigo said...

The descent me fez acreditar que ainda tem coisas pra gente se divertir no genero. Valeu cada minuto que esperei pra baixar.

22 February, 2006

 

Post a Comment

<< Home