Your Place for cinema

Thursday, September 15, 2005

Estreias da Semana - 15 Setembro

Hoje a semana, só nos reserva três estreias. Numa temos uma gigantesca festa de casamento (ou várias hehe), noutro uma intensa viagem de avião e finalmente para completar o "ramalhete" um filme Português com um título demasiado comprido...


Os Fura-Casamentos (Wedding Crashers) - Foi um grande exito de bilheteira nos U.S.A. Será que quer dizer alguma coisa?? Não muito mas tem sem duvída o seu significado. Pois é o "Frat Pack" consegue mais um exito... E já são bastantes seguidos, com algumas escorregadelas mas poucas. Filme realizado por David Dobkins com Owen Nilson, Vince Vaughn e o grande Cristopher Walken.

O filme acompanha a história de John e Jeremy. São dois penetras de festas de casamento, não interessa a religião: católica, judaica, indiana... Eles aproveitam estes dias para tirarem vantagem do romance que anda no ar, até ao dia em que um deles se apaixona pela noiva. É a eterna história de homens a comportarem-se como crianças (nós não queremos crescer). Mas a responsabilidade terá de surgir um dia e que dia melhor que no dia de casamento?

Pois é, este é daqueles filmes como muita fama de pôr o pessoal a rir como uns desalmados mas têm havido enganos do outro lado do Atlântico. Mas realmente a premissa é muito interessante. Homens solteiros à solta numa festa de casamento, ou várias, cheias de mulheres desesperadas. E possivelmente algumas donas de casa muito desesperadas hehehe.

Aconselho o filme a quem quer passar um bom tempo no cinema mas não mais que isso. Não deve mudar a nossa visão do mundo. É o velho "clean fun"...


Red Eye (Red Eye) - É o regresso de mais uma lenda do cinema de terror (Wes Craven - Gritos), desta vez a um estilo cinematográfico ligeiramente diferente mas também assente no MEDO, o Thriller. Realizado pelo já citado Wes Craven com Cillian Murphy (teve o seu ultímo papel em Batman - O Início) e Rachel McAdams (em grande a surgir em dois filmes numa semana, Red Eye e Os Fura-Casamentos).

A premissa do filme é a seguinte: O Filme começa com a assustada Lisa (por ir viajar de avião a ser confortada por Jackson e parecendo criar-se uma atracção mutua entre os dois. Minutos após o avião descolar, Jackson, o seu companheiro do lado, revela-lhe o verdadeiro motivo da sua viagem: assassinar um prestigiado homem de negócios... E Lisa é a peça essencial para o sucesso desta missão: caso se recuse a ajudar, um assassino já a postos matará o seu pai. Aprisionada a uma altitude de 30 000 pés, Lisa tem de tomar uma decisão.

Foi um mediano sucesso, no entanto, contrabalaçando o ultímo filme de terror de Craven (sobre Lobisomens que foi um "flop" monumental) e mantendo Craven no mapa do grandes do cinema. Sim, porque Hollywood não perdoa nada a nínguem, ainda mais quando se trata de lucros. Mesmos os melhores têm de lutar para obter financiamento para certos projectos. Tem sido dito que é o "Cabine Telefónica" mas dentro de um avião, sendo bastante tenso e agarrando o espectador à cadeira. Vai conquistar o povo Português?? Quem sabe. A história parece ser bastante claustrofóbica por desaconselhável a pessoas muito tensas. É capaz de dar um ataque de coração. Depois não digam que não avisei.


Um Rio (Um Rio Chamado Tempo, uma Casa Chamada Terra) - Filme Português, que já tardava em mostrar alguma coisa desde à uns meses para cá. Filme realizado por José Carlos de Oliveira com Anabela Moreira no papel principal (depois de papéis nas intermináveis telenovelas portuguesas, finalmente o cinema - tem uma cara engraçada a miúda). Será que este é o filme que irá conquistar o povo Português (eu acho que ainda não é desta, mas quem sabe).

A História passa-se entre o Porto e Moçambique no ano de 2000. Quando a pá do coveiro se quis enterrar na terra, para tapar a cova onde ficaria sepulto o cadáver de Dito Mariano, embateu numa superfície inexpugnável e rija como o aço. A tempestade raiou no céu e um pasmo trespassou os elementos da família presentes no enterro. Os rumores tomaram conta de 'Luar do Chão', a ilha onde o patriarca Dito Mariano era 'o homem de todas as mulheres'.
Adaptação do romance de Mia Couto «Um Rio Chamado Tempo, Uma Casa Chamada Terra». O guião é de António Cabrita, Luís Carlos Patraquim e José Carlos de Oliveira.

Parece confuso? Então é porque é. Eu tive a pouca sorte de ver o Trailer (ou apresentação do filme) antes de tentar ou pensar em ir ver o filme e tirei uma conclusão. Os portugueses não sabem vender os filmes que fazem e infelizmente (com algumas excepções) continuam a fazer filmes para o umbigo sem pés nem cabeça.
Eu tenho alguma inteligência (sempre deu para tirar um curso universitário) e não percebi nada da história. Parecia uma amalgama de cenas todas juntas e com uns tiros no meio que toda a sala do cinema ficou em choque durante cerca de 5 minutos. Silêncio absoluto, seguido de um sonoro "Ganda Me***" que sumarizou o que todos pensávamos...
Enquanto a indústria portuguesa de cinema (deve ser verdade) não quiser ganhar algum dinheiro, o cinema português nunca encontrará o seu publico. Já houve algumas tentativas como "Os Imortais" e "Noite Escura" mas infelizmente não têm continuidade. EM outubro vem ai talvez uma boa surpresa, o filme "Alice" muito elogiado em Cannes. É melhor esperar até lá.

2 Comments:

Blogger anaheitor said...

Deduzo do teu post que o filme "Um Rio" é um para não ir ver...Talvez leia o livro o título é bastante sugestivo...Um rio chamado tempo, uma casa chamada Terra.

20 September, 2005

 
Anonymous Pedro Ginja said...

Acho que sim. Parece que o livro em sim faz sentido e é um grande livro. Agora o filme... e isto já foi confirmado pelos criticos de cinema portugueses é uma perfeita confusão

21 September, 2005

 

Post a Comment

<< Home